De volta (pelo menos espero)

junho 22, 2009

Fiquei estupefato! Último post que fiz nesse blog foi no dia 11 de junho… Há apenas 11 dias, mas, para quem estava acostumado a dizer algo novo todo dia nesse espaço, é MUITO tempo!

Excesso de trabalho, mudanças de rotinas, falta de tempo, cansaço, preguiça, falta de assunto, desmotivado…

Não sei bem a causa da distância. Ou melhor, qual é a mais significativa. Sei que minha vida, sem que eu percebesse, foi mudando aos poucos. É aquelas típicas curvas das estradas que aparecem de vez em quando. Suaves, não cansam nem assustam, basta virar um pouquinho o volante do carro para o lado que você continua seu caminho na maior tranquilidade. Necessárias para evitar subir uma montanha, acordar os olhos acostumados com uma longa reta ou para mostrar um horizonte novo, ou, até mesmo, um horizonte já antigo que você achou que não veria mais.

Fato é que a breve estrada da vida é formada por caminhos tortuosos. Não todos como o que eu citei, mas esses são frequentes. E acredito que estou terminando de sair de um.

Detalhes que acontecem e, pouco a pouco, vão transformando a vida. Novas idéias, novos planos, novas tarefas, novos conceitos… Algo totalmente novo acaba surgindo no meio da estrada.

No início, parece que Saturno conspira contra, mas percebe-se que cada um continua seguindo suas devidas órbitas. E, como toda órbita celeste, percorrendo todas as estações!

Bem-vindo ao inverno! Que, literalmente, começou ontem!

Coisas novas vem aí! Prometo tentar manter atualizado esse espaço. E o outro também!

.

Anúncios

Quando Saturno conspira contra nós…

maio 8, 2009

Há dias atípicos que, incrivelmente, nada dá certo. E no final, a única coisa que você deseja é dormir na esperança de um novo dia. Parece que quanto mais rápido você fecha os olhos, diminui a chance de mais coisas absurdamente inexplicáveis acontecerem. Ontem foi um dia desses…

Depois de acordar atrasado às 4h20, cheguei no ponto do Conexão Aeroporto 2 min depois do ônibus das cinco horas ter saído. Sem tomar café da manhã, pegamos um taxi para chegar a tempo para o check-in do voo marcado para as 7h10. O balconista leva minha identidade para uma sala e, depois de um tempo, volta dizendo que o horário foi cancelado para manuteção da aeronave e o próximo voo sairia às 8h25. Onde já se viu isso? Quer dizer que a Gol não tem um plano de manutenção preventiva? Quer dizer que eles não possuem aviões de reserva? 😯
Putos da vida, pois tínhamos uma reunião na Eletropaulo às 9h, acabamos encontrando um horário alternativo às 6h30, mas que em vez de Congonhas, nos deixaria em Guarulhos (do outro lado de São Paulo!).

Ainda sem conseguir comer nenhum pão de queijo, saio correndo para a última chamada. E a fome duraria muito tempo… já viu o lanche da Gol? Dessa vez foi suco Mais de pêssego e 4 sanduíches de Salpet com patê de ervas… Sem comentários.

Claro que, até atravessar a cidade de São Paulo no caos do trânsito, chegamos atrasado para a reunião. Reunião daquelas em que você apenas abaixa a cabeça e concorda com tudo o que o cliente diz. Dizem que o cliente sempre tem razão, mas mais razão ainda quando ele está certo! Foram três horas de movimentos seguidos de cabeça dizendo “sim”.

Hora de almoço, hora de mais trabalho. Chego na filial e, inesperadamente, o superintendente muda todos os planos, demite o gerente e me diz, como se fosse a coisa mais natural do mundo que a bola da vez sou eu. Eu assumo o lugar do gerente. Eu assumo a bomba atômica que estava plantada há mais de um ano. E, claro, eu sou a última esperança da empresa! Um desafio enorme pela frente, a expectiva de crescer profissionalmente, mas um medo tremendo.

Nem lembro o que comi de almoço. Ou jantar, já que eram 16h. Minha primeira refeição digna do dia.

Passo o dia ouvindo… ouvindo… ouvindo… ouvindo conselhos, sugestões, problemas, mais conselhos, propostas e… apostas. Depois de já não aguentar mais tanta reunião, e com a cabeça zonza de assimilar tudo isso, toda essa novidade, tentei relaxar.

Não deu. Acabei me envolvendo em uma “discussão” que não gostei nem um pouco. Agora, além de amedrontado e zonzo, me senti abalado e exausto. Triste também. Não era o tipo de coisa que queria com tal pessoa. Não era o tipo de coisa que queria pra mim. E, além do mais, não fiquei nem um pouco feliz com o resultado da discussão. Mas a vida é assim quando Saturno conspira contra mim!

E para provar que era uma conspiração, saí da empresa quase dez horas da noite, sem agasalho no frio intenso da noite da serra de Itapecerica da Serra. O último a sair da empresa e quando tento dar partida no Uno que deixaram pra mim, ele não pega. Mais uma tentativa e nada… diversas tentativas até que como última solução foi empurrar ladeira abaixo e “pegar no tranco”. Um para-brisas sujo e embaçado que tornava impossível dirigir. Detalhe, gasolina na reserva…

22h30! Lembrei que não tinha comprado sabonete, nem shampoo, nem creme dental, além da fome. Padarias e lanchonetes já fechadas nessa cidade estranha além do medo de parar o carro e ele não ligar de novo. Fui na farmácia, pelo menos banho e escovar os dentes eu iria. Parei na porta, deixei o carro ligado e, vigiando para ninguém sair levando carro com notebook e tudo mais dentro, tentei pegar tudo e pagar. Pelo menos essa estratégia deu certo.

Comprei uma barrinha de cereal (light! não sei porque a farmácia só tinha light) para tapear a fome. Tentei dirigir na volta com um vento frio no rosto devido às janelas abertas para tentar desembaçar os vidros! Comi. Fui tomar banho. Tentei lavar a cabeça diversas vezes com o shampoo que comprei… Depois da terceira tentativa sem sucesso de fazer espuma, resolvi ler o frasco. Na pressa, peguei um condicionador no lugar do shampoo! 😛

Definitivamente… tem dias que Saturno (não a Terra) conspiram contra nós… É a lei de Murphy em ação! E a única coisa que resta fazer é dormir para acabar logo e ter a nova chance de um novo dia…


%d blogueiros gostam disto: