Os velhos conselhos de He-man

abril 13, 2009

Vasculhando esse imenso espaço virtual da internet, me deparei com um post contendo o seguinte video abaixo.

Interessante…  Traz à tona trechos de uma memória antiga. Sempre assisti quando criança, os desenhos do He-man pelas manhãs enquanto esperava o horário de ir para a escola.

Os conselhos do He-man no final dos episódios eram recorrentes. Não existia um desenho sequer que ele não aparecesse dizendo suas sábias frases no pior estilo de um “Moral da história”. Mas nunca imaginei que servissem pra alguma coisa. Por mais politicamente corretos que fossem, eu considerava o encerramento do episódio, na época, uma baboseira completamente inútil.

“Lá vem o He-man dizer o que devo ou não fazer na vida…” =) E mais, dizer tudo que já sei!

Eis que o tempo passa, a gente cresce e um sujeito qualquer na internet me faz repensar minhas atitudes do passado… Como a opinião de He-man pode ser atualizada para os problemas recentes do mundo! Se encaixa perfeitamente no cenário econômico que vemos hoje.

Um bando de idiotas, acreditando em lucro rápido e fácil, apostaram tudo que tinham em títulos de hipotecas sem fundamento! Fora os outros milhões que entraram na onda de investir na bolsa que subia a índices jamais vistos. Créditos pra lá, créditos pra cá e o resultado da corrida por dinheiro fácil foi uma crise no sistema capitalista globalizado! Conheço pessoas que venderam carro para apostar na bolsa e perdeu tudo… Imagino o Esqueleto dizendo: “Vai lá! Aposta na bolsa que é dinheiro fácil e certo!”

Não sei se foi os conselhos de He-man guardados no meu inconsciente, mas o fato é que, mesmo tentado, não entrei nessa canoa furada… Assim, depois desse vídeo, passei a questionar: será que uma série de desenhos animados, onde o personagem principal ganha com a força, queria passar alguma lição de moral para nossas crianças? Do tipo “não converse com estranhos”, “respeite seus pais”. Um tanto paradoxal, afinal, violência e educação não combinam. Qual era o real propósito da série? Educar ou simplesmente entreter?

Algo que me deixa profundamente desacreditado. Os desenhos atuais não possuem mais a inocência e denotação educadora como os desenhos da minha época. Servem, na maioria das vezes, simplesmente para entretenimento. No máximo soltam aquela: “ajudem seu companheiro para derrotarem juntos o inimigo!”. Pra onde irão nossas crianças? O que se pode aprender hoje com desenhos totalmente sem conteúdo?

Fato é que se muita gente tivesse lembrado dos velhos conselhos do He-man não teriam entrado nessa fria… Viva o He-man! “A maneira certa é a melhor maneira!”, mesmo soando obsoleto é assim que deve-se conseguir algo.

E pelos poderes de Grayskull também, claro!

.


%d blogueiros gostam disto: